Este, é um espaço não oficial.


ESTE É UM ESPAÇO NÃO OFICIAL.
Bem vindo. Serve este espaço para divulgar acções, noticias ou acontecimentos relacionados com o CI em particular e com a PSP em geral, e ainda, assuntos que de alguma forma, para nós, tenham alguma importância a nível profissional, social e/ou cultural...

Todos poderão participar, mandem artigos para serem publicados na página principal para a.fortiori.ci@gmail.com

Guestbook LIVRO DE VISITAS

Polícia atacado à facada por gang

Lisboa: Tentava socorrer vítima de assalto no Bairro Alto

Agente de 35 anos luta pela vida no hospital. Sofreu golpes profundos na cabeça, no pescoço e nos braços

O agente da PSP aproximou-se do grupo que tentava roubar um homem, pelas 03h00 de terça-feira, junto a um bar no Bairro Alto, Lisboa. Apesar de estar de folga, identificou-se como polícia. Contudo, depressa se tornou no alvo principal. Foi espancado e esfaqueado na cabeça, no pescoço e nos braços, além de agredido com uma garrafa partida. Teve de receber transfusões de sangue no Hospital de São José, onde está internado com prognóstico reservado.

Também anteontem, no ano em que mais de 300 polícias já foram agredidos, um outro agente teve de ser assistido no Hospital de Santa Maria, Lisboa. Tinha a cabeça partida por ter sido agredido numa operação stop em Carnide.

Ao que o CM apurou, no caso do Bairro Alto, o polícia de 35 anos estava com um grupo de amigos e, ao ser confrontado com o pedido de ajuda de uma mulher, a dar conta do roubo a um homem, acorreu em seu auxílio. Foi atirado ao chão e alvo de agressões violentas com uma faca e uma garrafa partida. Pelo meio do espancamento, o gang tentou roubar-lhe a carteira.

Foram várias as pessoas que tentaram socorrer o polícia, mas não conseguiram, perante a fúria dos agressores, que se puseram em fuga. Perseguidos, acabaram por ser detidos pela PSP. Trata-se de quatro homens, com idades compreendidas entre os 22 e os 26 anos. Ao que o CM apurou, pelo menos dois deles ficaram em prisão preventiva, depois de presentes ontem a interrogatório judicial no Tribunal de Instrução Criminal.

Quanto ao agente da PSP, continua internado em estado grave. Logo após dar entrada no hospital, foi submetido a uma cirurgia e teve de receber transfusões de sangue. O homem que foi socorrido pelo polícia acabou por receber alta na manhã seguinte. Tinha apenas algumas escoriações nos membros. Ficou ainda sem a carteira.

Recorde-se que, segundo dados facultados por fontes sindicais contactadas pelo CM, este ano, mais de 300 polícias foram agredidos em serviço, o que significa que, em média, mais do que um polícia é agredido por dia. Em 2009 houve 869 agressões a agentes de autoridade, mais 200 do que em 2008.

LEVA CABEÇADA AO PASSAR MULTA
Na terça-feira à tarde, um agente da 3ª Divisão da PSP de Lisboa foi agredido com gravidade no bairro Horta Nova, em Carnide, Lisboa. Ao que o CM apurou junto de fonte policial, o agente acabara de passar uma multa ao condutor de uma moto, quando levou uma cabeçada, tendo ficado sem qualquer capacidade de resposta. A gravidade dos ferimentos fez com que o polícia tivesse de receber tratamento no Hospital de Santa Maria, em Lisboa. Recebeu alta ainda na mesma noite, mas encontra-se actualmente de baixa. O agressor foi notificado para ir a tribunal.

RELAÇÃO PERDOA PENA DE PRISÃO
Carlos Varela, que em Janeiro deste ano agrediu três polícias à porta do Campus de Justiça, em Lisboa, foi condenado a um ano e seis meses de prisão efectiva. Mas o Tribunal da Relação alterou agora aquela sentença para uma pena suspensa por igual período. Recorde-se que Varela tinha acabado de ouvir o acórdão do homicida do irmão, morto no recreio da Casa Pia, acabando por agredir os polícias. Luís Oom, advogado do arguido, ficou satisfeito com a decisão.

fonte CM 07 Outubro 2010

2 comentários:

  1. "afortiori68"8 de outubro de 2010 às 13:33

    Aqui fica o meu desejo para que o agente em questão se recupere a 100% o mais rápidamente possivel!!É de lamentar que até agentes de autoridade sejam alvos de violência e agressões!!Este agente até estava de folga ,mesmo sem estar de serviço prestou-se a auxiliar alguém em risco e ainda por cima é agredido violentamente,realmente nem existem comentários possiveis...é este o país em que vivemos!!!

    ResponderEliminar
  2. Continuam a ser benevolentes com os criminosos enquanto os nossos jazem entre a vida e a morte, depois ainda nos retiram parte do salário, a autoridade e os meios para podermos defender as populações, um dia serão eles a implorar para que os defendamos.

    ResponderEliminar