Este, é um espaço não oficial.


ESTE É UM ESPAÇO NÃO OFICIAL.
Bem vindo. Serve este espaço para divulgar acções, noticias ou acontecimentos relacionados com o CI em particular e com a PSP em geral, e ainda, assuntos que de alguma forma, para nós, tenham alguma importância a nível profissional, social e/ou cultural...

Todos poderão participar, mandem artigos para serem publicados na página principal para a.fortiori.ci@gmail.com

Guestbook LIVRO DE VISITAS

Principais associações da PSP e GNR rejeitam estatuto

.
As principais associações da PSP e da GNR estão contra o projecto final do Estatuto Profissional apresentado pelo ministro da Administração Interna.
.
Clica na imagem para ler e ouvir na RR (fonte)
.

Sindicatos apelam ao protesto

30 Junho 2009 - 19h41
Contra estatuto profissional
.
A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP) apelou esta terça-feira aos agentes para que não se apresentem ao serviço no próximo dia 02 de Julho, em forma protesto contra o estatuto profissional, que deverá ser aprovado amanhã em Conselho de Ministros.
.
O presidente da associação afirmou que os profissionais podem tomar esta iniciativa de forma legal, pedindo férias e folgas, para que seja demonstrado o seu descontentamento perante a proposta final apresentada ontem pelo Ministério da Administração Interna (MAI).
.
Na próxima quinta-feira, também os representantes da associação de sindicatos da PSP se manifestam, numa concentração junto à residência oficial do primeiro-ministro, José Sócrates.
.
fonte CM

Tenta matar PSP com arma policial

30 Junho 2009 - 00h13
Loures: Fuga de cinco assaltantes envolveu troca de tiros com a polícia
.
O agente da PSP esperava o autocarro para ir trabalhar, anteontem à noite, quando foi cercado pelos cinco homens que lhe encostaram uma faca ao pescoço. Pensou que ao identificar-se como polícia ia travar o assalto, em S. João da Talha, Loures – mas só agravou. Além de lhe roubarem a carteira com 50 euros e o crachá da PSP, tiraram-lhe a arma de serviço, uma Glock 9 mm, que lhe apontaram à cabeça.
.
Na fuga, quando eram perseguidos por várias patrulhas, dispararam contra a polícia com a arma roubada ao agente. Dois acabaram capturados ao chocar com uma carrinha do Piquete de Intervenção. Os outros refugiaram-se num bairro social e continuam a monte.
.
fonte e noticia completa AQUI

PSP e GNR reforçam efectivos nas praias

No caso da PSP, está previsto o reforço dos seus efectivos nas praias portuguesas sob sua jurisdição durante a "Operação Verão Seguro 2009", sendo este ano o dispositivo humano utilizado superior a 24.000 efectivos, apoiados por mais de 7.000 meios mecânicos.
.
O policiamento das praias do país será partilhado com a GNR, cabendo a esta força todo o controlo das praias fluviais e da zona da Costa da Caparica, costa alentejana e Algarve, numa operação que irá, segundo o comando-geral, envolver todo o dispositivo disponível da instituição, que conta com mais de 25.000 militares.
.
Fonte da Direcção Nacional da PSP adiantou à agência Lusa que, a partir de 26 de Junho até 15 de Setembro, no âmbito da Operação Verão Seguro será incrementada a presença dos meios policiais, humanos e materiais, junto das praias e zonas envolventes, áreas turísticas, comerciais, residenciais e eixos rodoviários.
.
Nestas operações, a PSP vai usar a Unidade Especial de Polícia, através do Corpo de Intervenção, para reforço do policiamento em todas as praias e zonas turísticas da sua jurisdição, onde empregará também o Grupo Operacional Cinotécnico (binómio cão/homem).
(...)
.
fonte e noticia completa DN
.
foto google

Estudante alcoolizado morde polícia

Bem , o alcool tem destas coisas... vejamos a noticia do JN.
.
Um jovem de 19 anos foi detido, na noite desta segunda-feira, em Évora, por ter mordido um agente da PSP.
.
O jovem, estudante universitário, encontrava-se em Rossio de São Brás, local das festividades populares da cidade, em honra do santo padroeiro, quando atacou um elemento da Unidade Especial de Polícia da PSP, que fazia patrulhamento naquele local.
.
Perto das 2.30 horas da madrugada, os elementos da UEP - destacados para Évora durante as festas populares da cidade para realizar policiamento a um recinto que atrai milhares de pessoas -, entraram na zona de restauração para alertar os presentes do encerramento das festividades, cujo horário de fecho está fixado às duas horas da madrugada.
.
Alguns agentes da UEP, compostos por elementos do Corpo de Intervenção e Cinotécnico, dirigiram-se a um grupo de jovens que estava sentado nesse local para avisar do horário da feira. Foi nesse momento que um deles se insurgiu e, literalmente, se atirou a um dos polícias do CI, mordendo-o fortemente num dos braços, causando-lhe um hematoma.
.
O jovem que, segundo explicou ao JN fonte da UEP, estaria sob efeito de álcool, acabou por ser detido e na manhã de ontem foi presente a tribunal.
.
fonte JN

Operação no Aleixo

Foi com um grande aparato policial que cerca de quarenta e cinco polícias entraram ontem à tarde no Bairro do Aleixo, no Porto, em mais uma operação de combate ao tráfico de droga.
.
A operação, que durou mais de duas horas, resultou na detenção de dois indivíduos que estavam na posse de estupefacientes. Um dos detidos tinha 1781 doses de cocaína, enquanto que o outro estava na posse de 1121 doses de haxixe. Este último foi interceptado pela polícia quando tentava fugir num motociclo.
.
Os acessos ao bairro estiveram cortados enquanto uma centena de pessoas era revistada. Os próprios moradores do bairro só puderam regressar às suas casas depois de toda a operação estar concluída.
.
Identificar todas as pessoas, verificar se possuíam armas ilegais ou drogas e ainda certificar-se de que não possuíam nenhum mandado de detenção, tornou o processo moroso. As pessoas identificadas são na sua maioria jovens, desempregados.
.
A PSP interveio também na Torre 1 do Aleixo onde foram realizadas algumas buscas domiciliárias, mas sem resultados. A operação no Bairro do Aleixo insere-se numa acção da polícia a nível nacional, realizada durante o dia de ontem em várias zonas do País.
.
fonte CM

268 detidos em mega-operação da PSP

Foram detidas 268 pessoas, incluindo estrangeiros e indivíduos já com mandados de detenção, numa mega-operação da PSP, ocorrida durante 24 horas em 100 cidades de Portugal.

Os agentes estiveram nas ruas desde as 07h00 de sexta-feira até às 07h00 de sábado e tinham como objectivo a realização de fiscalizações de trânsito e a estabelecimentos comerciais, assim como a procura de indivíduos suspeitos de práticas criminosas, tais como tráfico de droga.

Nas zonas de diversão nocturna, bairros problemáticos, zonas residenciais e terminais de transportes o contingente policial foi reforçado.

Numa operação denominada por ‘Nós providenciamos segurança’, a PSP contou com o apoio de da Unidade Especial de Polícia, bem como do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras.

PORMENORES
ÁLCOOL A MENORES
A PSP fiscalizou 123 espaços de diversão nocturna, tendo procedido a 114 autuações, nomeadamente por venda de álcool a menores, incumprimento das normas de segurança e permanência de menores em estabelecimentos deste género.

1534 IDENTIFICADOS
Num total foram identificadas 1534 pessoas, entre as quais 41 menores.

2927 AUTUAÇÕES
Das 2927 autuações, 1227 deveram-se a excesso de velocidade, 220 a excesso de álcool, 38 a falta de seguro, 75 ao uso de telemóvel durante a condução e 103 a falta de inspecção do veículo.

DETENÇÕES
- Posse de armas ilegais: 4
- Roubo: 1
- Tráfico de droga: 23
- Imigrantes ilegais: 12
- Desobediência: 4
- Furtos: 4
- Condução ilegal: 38
- Excesso de álcool: 160
.
fonte CM

Disparos contra a Esquadra

.
São bem visiveis as marcas (no placard e na parede) dos disparos de Caçadeira efectuados contra a Esquadra da Bela Vista em Setúbal. Fica aqui a imagem para quem não viu .
Este Placard fica mesmo por cima da janela da entrada da Esquadra onde estavam os colegas que seriam o alvo dos disparos.
.
enviado po "JS"

CORPO DE INTERVENÇÃO DE PARABENS


Elementos do 5º GRUPO do CI detiveram o suposto autor dos disparos contra a Esquadra da Bela Vista em Setúbal...

A noticia no Correio da Manhã
18 Junho 2009 - 00h30
Setúbal: PSP prende homem que terá atacado a tiro a esquadra da Bela Vista

O Corpo de Intervenção (CI) da PSP prendeu um homem, com cerca de 30 anos, que está a ser investigado pela autoria dos disparos de arma de fogo, feitos a 8 de Maio, a partir de uma viatura em andamento contra a esquadra da Polícia da Bela Vista, em Setúbal.

Catueta’, alcunha do detido, foi preso a 4 de Junho, no decorrer de uma patrulha feita por agentes do 5º Grupo do CI, na zona da Alameda das Palmeiras, onde residia. Recorde-se que foi este o centro da revolta contra a PSP que, nos primeiros dias de Maio, deixou o bairro problemático de Setúbal a ferro e fogo.

O Grupo de Operações Especiais (GOE) já tinha, de resto, uns dias antes, tentado proceder à sua detenção. Conhecido pelo recurso fácil a armas de fogo, o suspeito conseguiu iludir a vigilância dos operacionais do GOE – e, com isso, abandonar o bairro da Bela Vista. É considerado perigoso.

A 4 de Junho, no entanto, a persistência dos agentes do CI não lhe deixaram escapatória. ‘Catueta’ ainda tentou resistir, mas foi rapidamente apanhado, apurou ontem o CM.

A sua detenção foi consumada com base num mandado de detenção para cumprimento de prisão efectiva. A ordem judicial, emitida pelo Tribunal de Mafra, previa o cumprimento de três anos de prisão por outros crimes, que o detido começou de imediato a cumprir na cadeia de Setúbal.
.
No entanto, continuam as investigações sobre os alegados delitos praticados por ‘Catueta’. O Ministério Público de Setúbal mantém aberta a investigação aos distúrbios de Maio, no bairro da Bela Vista. ‘Catueta’ é um dos suspeitos de, ao fim da tarde de 8 de Maio, ter atacado a tiro a esquadra da PSP da Bela Vista.
Três disparos de caçadeira foram efectuados a partir de um Honda Concerto contra a porta do departamento policial. Apesar de não ter feito feridos, o ataque serviu para reformular a segurança da esquadra.
.

fonte CM

Fotos BLOG
.
enviado por "FZ"
Um trabalho feito por um nosso amigo, que quer um dia formar ao nosso lado...



Cá te esperamos André e obrigado pela tua participação.
-
Enviado por "André Ribeiro"

Polícia vista de outra forma...

"PORTUGAL, MEU AMOR - ep 3"
Reportagem de Hugo Gonçalves - SIC Radical

Clica AQUI para ver o video

Uma reportagem interessante.

Dados apontam para 253 agressões a polícias desde Janeiro

Dois agentes da PSP foram agredidos, ontem de manhã, em Viana do Castelo, depois de terem sido chamados para acabar com uma cena de pancadaria entre dois grupos rivais no final de uma festa. Acabaram no hospital com hematomas e escoriações.

As duas vítimas juntam-se a muitos outros casos que mostram uma tendência de aumento do uso da violência contra os polícias. Desde 2005, o número de agressões contra estes profissionais não tem parado de crescer.

Até ao final de Maio deste ano, havia registo de 253 agressões, sendo que 86 são consideradas graves. Os dados são avançados ao CM pela Associação Sindical de Profissionais de Polícia (ASPP/ PSP) e traçam a realidade dura e crua que os agentes enfrentam todos os dias. Feitas bem as contas, as mais de duas centenas e meia de agressões expostas anteriormente significam que um polícia é agredido em cada um dia. 'Há vários anos que as os polícias são alvo de violência', salienta Paulo Rodrigues, presidente da ASPP.

Em 2006 as agressões graves subiram para 265, mais 140 do que em 2005 (ano em que se registou um total de 368 agressões). Um problema que continua em crescimento.

As associações sindicais lamentam estes números e mostram-se preocupadas por considerarem elevados os números de agressões aos profissionais das forças de segurança. António Ramos, do Sindicato dos Profissionais de Polícia defende, inclusive, 'a condenação imediata dos agressores'.

'Há muito tempo que andamos a ouvir falar de agressões. Os nossos agentes, convém realçar, representam o Estado de direito, o que agrava mais a situação', acrescenta o dirigente sindical.

António Ramos queixa-se ainda do receio que os agentes têm em actuar, uma vez que 'se houver alguma queixa de agressões por parte dos policias os mesmos são logo alvo de um processo disciplinar'.

Em 2007 e 2008, o número de agressões graves a agentes subiu para 339 e 372, respectivamente. As associações advertem também para o facto de esta tendência de aumento contribuir para o 'enfraquecimento da actuação das forças de segurança'.

Confrontada pelo CM com estes dados, fonte da Direcção Nacional da PSP reconhece que se tem verificado mais casos de violência contra os profissionais mas recusou comentar o assunto.




REACÇÕES
'AGENTES SÃO AGREDIDOS NAS ESQUADRAS'
(António Ramos, SPP/PSP)
O que se está a passar actualmente é uma autêntica vergonha. Os agentes são, na maior parte das vezes, agredidos na rua, mas o pior é que chega a haver casos em que vão ter com eles à esquadra dar-lhes murros e pontapés.

'ESTADO NÃO PRESTA ATENÇÃO A ESTES CASOS' (José Manageiro, APG/GNR)
O estatuto dos nossos profissionais está cada vez mais a degradar-se, o que nos torna mais frágeis para estas e outras situações. Há uma banalização das forças de segurança e o Estado não presta atenção a isto.

NOVO CÓDIGO PENAL DIFICULTA DETENÇÕES
Em Setembro de 2007 entrou em vigor o novo Código Penal que contemplava algumas alterações ao regime de prisão preventiva para agressores. Segundo os sindicatos da PSP, esta mudança só prejudicou os agentes, principalmente quando sujeitos a situações de risco.

'Antes da entrada em vigor deste Código Penal o agressor ficava nos calabouços da polícia até ser apresentado ao juiz. Agora, na maior parte dos casos o agressor é apenas identificado. Muitas das vezes nem se apresenta em tribunal, saindo ileso do acto violento que cometeu. Ainda não vi ninguém ser julgado por agressão a polícias', adverte Paulo Rodrigues.

'PSP É PROFISSÃO DE RISCO' (Paulo Rodrigues, Presidente da ASPP/PSP
Correio da Manhã – Como explica este aumento de agressões a agentes da PSP?
Paulo Rodrigues – Acima de tudo, é resultado do aumento da criminalidade violenta e organizada que não só aumenta o número de agressões como as torna mais graves.
– O que falta fazer?
– Muita coisa, mas principalmente reconhecer de uma vez por todas que ser polícia é ter uma profissão de risco.
– Que consequências tem essa falta de reconhecimento?
– Medo e receio de exercer a profissão. Isto é mau não só para os profissionais como para as suas famílias, que também são ameaçadas.

RIXA EM FESTA ACABA COM AGENTES FERIDOS
O alerta para uma cena de pancadaria numa festa popular em Viana do Castelo soou na esquadra da PSP eram 08h00. Para o local acorreu de imediato uma patrulha com dois homens para pôr cobro à situação. No entanto, os dois agentes acabaram por se envolver em confrontos físicos com os agressores, acabando por ficar feridos. Receberam tratamento no hospital de Viana do Castelo, apresentando alguns hematomas e escoriações. Um deles é um dos polícias que foi baleado no assalto ao Museu do Ouro, também em Viana, há cerca de dois anos.

A rixa aconteceu depois de uma festa que decorreu, durante a madrugada, no recinto do Castelo de Santiago da Barra, onde se situa a sede da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal.

Os dois polícias foram enviados para pôr fim a uma cena de pancadaria que envolveu dois grupos rivais, tendo como objectivo repor a ordem pública no local.
Os dois homens, de 25 e 28 anos, que supostamente estiveram envolvidos nos conflitos foram detidos por alegadas agressões aos agentes da autoridade.
Os agressores são ainda acusados de resistir à actuação dos elementos policiais, bem como de ameaças. Ambos serão presentes, amanhã, a tribunal para que lhes sejam aplicadas, pelo juiz, as medidas de coacção.

MILITARES CONTRA DISCRIMINAÇÃO
José Manageiro, presidente da Associação dos Profissionais da Guarda (APG), queixou-se ao CM de que as agressões aos militares têm 'acompanhado o aumento da criminalidade', mas alertou que há diferenças no tratamento dos profissionais da GNR. 'Se as agressões se dessem com os oficiais com certeza que não havia tanta indiferença como há com os militares', salientou. Tal como os sindicalistas da PSP, Manageiro falou em 'sentimento de impunidade'.

FORÇA FÍSICA
De acordo com o Relatório de Segurança Interna de 2009, a maior parte das agressões contra polícias resultam do uso de força física.
309 Agentes da polícia que ficaram feridos em consequência de agressões em 2008.

PAGAM DANOS NA FARDA
Quando os agentes são agredidos é frequente ficarem com as fardas estragadas. São obrigados a pagar as despesas do seu próprio bolso.

NOTAS
AGRESSÃO: 154 FERIDOS EM 2008
Segundo dados do Relatório Anual de Segurança Interna, 154 elementos da GNR ficaram feridos em consequência de agressão o ano passado. Em 2007 foram 209, mais 19 do que em 2006.
BEJA: DUO AGRIDE AGENTE
Na semana passada, um agente da PSP de Beja foi agredido a soco por dois indivíduos intervenientes numa rixa. Um dos agressores conseguiu escapar.
ESQUADRA: POLÍCIA ESFAQUEADO
Em Março passado, um agente da PSP de S. João da Madeira, de 37 anos, foi esfaqueado, de madrugada, no pescoço dentro da esquadra. Estavam apenas dois agentes de serviço.

fonte CM

Um dia na vida do CI/PSP

video

Video promocional do MAI

CMDT na altura- Intendente Lucas

Mil polícias lançam bonés em São Bento

Manifestação: Profissionais exigem mudanças no estatuto


Mais de mil polícias, vestidos à civil, manifestaram-se ontem ao fim da tarde em Lisboa e, tal como prometido, largas dezenas de agentes lançaram os bonés da farda contra a residência oficial do primeiro-ministro, em São Bento.

A exclusão dos polícias da Lei de Vínculos da Função Pública, a atribuição do subsídio de risco e a exigência de pré-aposentação aos 55 anos ou 36 de serviço são as principais reivindicações dos profissionais.

A concentração começou frente à Assembleia da República pouco depois das 18h30, mas, ao chegar junto à residência oficial de José Sócrates, os ânimos exaltaram-se, fazendo com que os profissionais lançassem os bonés da farda, que ficaram espalhados ao longo da Calçada da Estrela.

A inquietação era tanta que os colegas dos manifestantes que estavam de serviço tiveram de os empurrar para criar uma barreira de segurança.

O objectivo inicial dos manifestantes não era o de lançar os bonés para o chão, mas antes deixá-los num caixote para ser posteriormente entregue na residência do primeiro-ministro.
Paulo Rodrigues, presidente da ASPP/PSP anunciou no final do protesto uma nova jornada de luta, marcada para o próximo dia 30 deste mês.

"Porque o Governo tem tratado mal, não só a polícia, mas principalmente os cidadãos, já estamos a projectar uma nova acção que poderá levar à paralisação de alguns serviços da PSP", explicou sem dar mais pormenores.
.
ver noticias relacionadas - JN e DN

MAI controla 'google' da informação criminal

O Governo criou um 'google' da informação criminal, que permite, por via informática, a um polícia saber o 'cadastro' que todas as forças de segurança têm sobre um suspeito. Informação em segredo de justiça também vai estar no sistema e o facto do acesso à rede ser gerido pelo MAI está a levantar acesa polémica.
.
fonte e notícia completa AQUI
.
enviado por "Irmão Dalton 3"

Nova Lei da Armas

O novo diploma aumenta a pena para crimes com armas de fogo


A nova Lei das Armas, que agrava as penas para crimes com recurso a armas, entra hoje em vigor. A lei foi aprovada no Parlamento a 19 de Março com os votos favoráveis do PS, a abstenção do PSD e do CDS-PP e os votos contra do PCP, BE e “Os Verdes”.
.
A nova lei, anunciada em Agosto de 2008 pelo ministro da Administração Interna, Rui Pereira, foi muito contestada pela oposição, que criticou o PS por incluir no diploma normas relativas à prisão preventiva, defendendo que isso deveria ser feito no Código de Processo Penal.
.
Está igualmente previsto o agravamento das penas para os crimes com recurso a armas em um terço nos seus limites mínimos e máximos. Segundo a lei, quem vender ou ceder armas sem autorização é punido com uma pena de dois a 10 anos de prisão.
(...)
A alteração à Lei das Armas, aprovada na generalidade na Assembleia da República a 3 de Outubro de 2008, foi anunciada pelo ministro Rui Pereira para travar o crime violento.

fonte "PUBLICO"

-----------------------------------------------------------------------------------
PSP diz estar preparada para aplicar nova lei das armas

A Direcção Nacional da PSP assegura que está preparada para aplicar a nova lei das armas, que entra em vigor esta sexta-feira, e que agrava as penas para os crimes cometidos com o recurso a armas, assim como seja seja apanhado com uma arma proibida.

Embora não respondendo directamente às criticas da Associação Sindical dos Profissionais de Polícia, que diz que os agentes da PSP não foram informados sobre as alterações nesta legislação, o porta-voz da PSP garantiu que a nova lei não trará problemas.

«Os núcleos de armas e explosivos de todo o país têm neste momento conhecimento do que são as aplicações que são necessárias fazer no terreno. Portanto, serão estes núcleos que estarão no terreno a apoiar as decisões e as necessidades de actuação de todos os agentes de autoridade», explicou Paulo Flor.

Em declarações à TSF, este responsável da PSP assinalou ainda que existe a «noção de que as pessoas que têm de decidir a nível do país têm conhecimento das especificidades da lei».
.
fonte TST

NA CHINA...

.
Membros de uma unidade da Polícia Especial da China formada para manifestantes violentos.
Imagens de uma demonstração no final de um curso de 6 meses. (conhecidos por "New BaekGolDan")
.

enviado por "Spider Man"

Uma montagem fotográfica feita e enviada por uma leitora assidua deste nosso espaço.

Mais uma vez o nosso obrigado pela participação e dedicação...


CORPO DE INTERVENÇÃO

enviado por "Uma admiradora do CI 4 ever"!

Polícias absolvidos de agressão

Dois agentes do Corpo de Intervenção da PSP foram absolvidos, esta semana, pelo Tribunal de Matosinhos, depois de terem sido acusados de agressão a um vendedor ambulante durante uma operação que contou com a participação da ASAE.
(...)
A alegada agressão tinha ocorrido numa acção de combate à contrafacção de roupa e CD, na Feira da Senhora da Hora, em Matosinhos, que se realiza todos os sábados de manhã, e que tinha sido liderada pela ASAE. O vendedor acusava os polícias do Corpo de Intervenção de lhe terem batido e tinha juntado ao processo relatórios médicos que sustentavam os alegados ferimentos ocorridos durante a operação policial.

.
fonte CM

enviado por "Irmão Dalton 3"